Wed

29

Jan

2014

Músicas para ajudar a suportar esse calor

      Parece que cada dia que passa o calor aumenta. Adoro o verão, mas detesto passar calor como estou passando nesses últimos dias. Sou uma daquelas pessoas que não gosta de usar o ar condicionado a tempo todo, pois acha injusto para aqueles que não têm essa opção. Mas do jeito que está, logo logo mudarei essa ideia. 

      Se tem uma coisa que sempre acaba me animando é a música. Então fiz uma playlist com aquelas que mais estou ouvindo nesses dias mais quentes que panela no fogo, brincadeirinha :P.  São bem variadas, mas nenhuma é aquele estilo depressivo, entendido? Já basta ter que quase desmaiar de tanto calor ou pagar uma fortuna a mais para ficar mais “fresquinha”. Clique logo no play!

1 Comments

Wed

29

Jan

2014

Inspirações fazem a diferença

 

     Acredito muito nessa ideia de que nossa vida, em um todo, é baseada naquilo que vivemos, do ambiente em que passamos o dia a dia. E com isso também quero dizer que cada um tem aquelas pessoas em que se inspira tanto nas ações, num geral, quanto no que você se vê em um futuro. Geralmente essas pessoas se encaixam em um dos dois parâmetros: alguém próximo seu ou alguma personalidade que, independente de como, esteja na mídia. No meu caso, são os dois, mas isso não vem ao caso agora. O que quero mostrar é que, querendo ou não, nós não somos formados de uma vez: nascemos assim e pronto. Obviamente temos nossa personalidade e características, mas com os anos, é o ambiente que nos molda, fazendo uma junção incrível e nos tornando quem somos hoje.
     E assim, em meio a tantas influencias, acredito que o certo é usar esse novo "eu" da melhor forma possível. Fazendo dessas características o seu "algo a mais". Muita gente já fez história (literalmente) com seu caráter admirável.  Seja por realizar seus próprios sonhos ou por colocar em pratica suas ideias, elas se destacaram de tal forma que anos se passaram e ainda falamos delas. 
     Bem, se você reparou, estou citando tudo no feminino e isso, pois quero falar de mais uma coisinha: o poder feminino. Algo que a cada dia cresce e mostra que não somos nunca fomos e não nascemos para ser inferiores a ninguém. Obviamente, isso não significa que homens e mulheres podem fazer exatamente as mesmas coisas, mas ao menos devemos saber que isso é totalmente diferente de ser considerado inferior a alguém.
     Ok, ok. Provavelmente qualquer um que esteja lendo isso queira saber aonde essa conversa irá chegar. Bem, um dos meus objetivos também é justamente juntar esses três assuntos comentados: inspiração, formação da personalidade e feminismo (no justo sentido). Esses dias, em uma vídeo locadora (filmes é uma eterna paixão, vocês repararão nisso), no meio das centenas de DVDs, três me chamaram a atenção, aleatoriamente. Quando fui rever quais havia pego, me dei conta de que os três tinham algo em comum: eram a história de personalidades femininas muuuito importantes. Maria Antonieta. Coco Chanel. Marylin Monroe. E com isso, resolvi procurar mais filmes de tais "figuras femininas". Encontrei diversos, então escolhi 8 que mais se destacaram para mim, seja pela qualidade do próprio filme ou a história em si, para mostrar a vocês.


(Estou em um momento "apaixonada por história", caso alguém não tenha percebido, mas mesmo para aqueles que não ligam muito para isso vale a pena ver esses filmes, são INCRÍVEIS)
 

 

Miss Potter

 “Beatrix Potter foi o fenómeno literário do início do século XX. Numa época em que a maioria das jovens da sua classe social aspiravam apenas a um bom casamento, Beatrix tornou-se uma figura icónica, remando calmamente, mas com grande força de vontade, contra a maré. Ela criou uma série de livros e personagens tão amadas hoje em dia como o foram cem anos atrás, e que, desde a sua primeira edição, nunca deixaram de ser publicados.”

 

 Coco antes de Chanel

“Quando criança Gabrielle é deixada, junto com a irmã Adrienne, em um orfanato. Ao crescer ela divide seu tempo como cantora de cabaré e costureira, fazendo bainha nos fundos da alfaiataria de uma pequena cidade. Até que ela recebe o apoio de Étienne Balsan, que passa a ser seu protetor. Recusando-se a ser a esposa de alguém, até mesmo de seu amado Arthur Capel, ela revoluciona a moda ao passar a se vestir costumeiramente com as roupas de homem, abolindo os espartilhos e adereços exagerados típicos da época.

 

Erin Brockovich - Uma Mulher de Talento

“Erin é a mãe de três filhos que trabalha num pequeno escritório de advocacia. Quando descobre que a água de uma cidade no deserto está sendo contaminada e espalhando doenças entre seus habitantes, convence seu chefe a deixá-la investigar o assunto. A partir de então, utilizando-se de todas as suas qualidades naturais, desde a fala macia e convincente até seus atributos físicos, consegue convencer os cidadãos da cidade a cooperarem com ela, fazendo com que tenha em mãos um processo de 333 milhões de dólares.

 

Amelia

“Amelia Earhart foi a primeira mulher a completar a travessia do oceano Atlântico pilotando um avião. Este feito fez com que se tornasse uma celebridade nos Estados Unidos, onde passou a ser chamada de "deusa da luz" devido a sua ousadia e carisma. Seu fascínio pelo perigo inspirou até mesmo a primeira dama Eleanor Roosevelt. Casada com George Putnam, um magnata do mercado editorial, e tendo o piloto Gene Vidal como seu grande amigo, Amelia decide, em 1937, embarcar na mais arrojada de suas missões: dar a volta ao mundo em um voo solo.

 

Joana D’arc

 “Em 1412, nasce em Domrémy, França, uma menina chamada Joana. Ainda jovem, ela desenvolve uma religiosidade tão intensa que a fazia se confessar algumas vezes por dia. A Guerra dos Cem Anos com a Inglaterra se prolongava desde 1337. Em 1420, foi assinado o Tratado de Troyes, declarando que após a morte de seu rei a França pertencerá a Inglaterra. Assim, os ingleses invadem o país. Até que surge Joana que, além de se intitular a "Donzela de Lorraine" tinha uma determinação inabalável e dizia que estava em uma missão divina, para libertar a França dos ingleses. Desesperado por uma solução, o delfim resolve lhe dar um exército, com o qual ela recupera Reims, onde o delfim é coroado Carlos VII. Mas se para ele os problemas tinham acabado, para Joana seria o início do seu fim.

 

A Dama de Ferro

“Antes de se posicionar e adquirir o status de verdadeira dama de ferro na mais alta esfera do poder britânico, Margaret Thatcher teve que enfrentar vários preconceitos na função de primeiro-ministra do Reino Unido em um mundo até então dominado por homens. Durante a recessão econôminica causada pela crise do petróleo no fim da década de 70, a líder política tomou medidas impopulares, visando a recuperação do país. Seu grande teste, entretanto, foi quando o Reino Unido entrou em conflito com a Argentina na conhecida e polêmica Guerra das Malvinas.

 

Sete dias com Marylin Monroe

“No verão de 1956, o jovem Colin Clark, vindo de Oxford em busca de sucesso na indústria do cinema, trabalhou como assistente no set de filmagem de O Príncipe Encantado. Esta produção reunia duas grandes estrelas, Sir Laurece Olivier e Marilyn Monroe, que estava nesta época em lua-de-mel com seu novo marido, o dramaturgo Arthur Miller. Quase 40 anos mais tarde, foi publicado o diário de Miller, intitulado “O Príncipe, a Vedete e Eu", mas uma semana faltava, e estas páginas desaparecidas foram publicadas mais tarde com o título "Minha Semana com Marilyn". Quando Arthur Miller deixa a Inglaterra, Colin decide mostrar a Marilyn os prazeres da vida britânica; esta torna-se uma semana idílica em que ele acompanhou uma estrela ansiosa para fugir dos holofotes de Hollywood e da pressão do trabalho.”

 

Maria Antonieta

“A princesa austríaca Maria Antonieta é enviada ainda adolescente à França para se casar com o príncipe Luis XVI, como parte de um acordo entre os países. Na corte de Versalles ela é envolvida em rígidas regras de etiqueta, ferrenhas disputas familiares e fofocas insuportáveis, mundo em que nunca se sentiu confortável. Praticamente exilada, decide criar um universo à parte dentro daquela corte, no qual pode se divertir e aproveitar sua juventude. Só que, fora das paredes do palácio, a revolução não pode mais esperar para explodir.

 

   

   Se você realmente viu algum esses filmes, pode concluir algo: a vida as moldou, mas não as mudou. Confuso? Um pouco, mas da pra entender. Pelo o que se consegue ver, a vida de qualquer uma foi difícil (dentro da sociedade em que viviam), mas todas conquistaram algo, seu objetivo.
Claro quem sou eu para dizer (ninguém, isso ai Júlia), mas não se deem nunca por vencidos. Ou melhor: viva e não simplesmente exista. Se inspire em alguém, mas não seja uma versão barata dela, beleza? E mais uma coisa, já ouvi dizer que uma das melhores coisas da vida é e sempre será a sensação de realização. Mesmo que aquilo deu muuuito trabalho, essa sensação é algo que faz tudo valer a pena. E qualquer pessoa tem a capacidade de realizar tais objetivos, como dizem, "basta correr atrás".

 

   Esse post não foi apenas mais um longo texto, representou muito mais para mim. Eu precisava disso, colocar tudo no papel, e provar não só para vocês, mas para mim mesma de que quando queremos, somos capazes. Tenho muitos sonhos, então essa pequena mensagem, foi mais significativa para mim do que eu pude imaginar. "Ah, ela se inspira no próprio texto". Não é bem isso, é como eu disse, precisava ouvir de mim mesma que isso tudo é possível, que somos formados pelo nosso ambiente e que somos tão capazes quanto qualquer homem. 

 

Obs.: tudo é meramente minha opinião, minha sincera e confusa visão desse assunto. O que pode ser o correto para mim, pode não ser para você.

 

Espero que tenham gostado e entendido o que quis dizer! 

 

Beijos e sonhem com um lindo jardim de rosas.

0 Comments

Thu

23

Jan

2014

O porquê de tudo isso

    Tenho uma paixão enorme pelos blogs. Acredito que ainda seja um dos únicos cantinhos na rede em que podemos ser totalmente nós mesmos. É aonde podemos ir para desabafar, falar sobre aquilo que amamos ou algo que nos surpreendeu. E ninguém tem o direito de nos julgar por isso, pois é o nosso lugar. E é exatamente com esse objetivo que inauguro agora o “Julia’s Rose”, meu novo blog.

      O motivo deste nome? Bem, primeiramente, deixem que eu me apresente. Me chamo Júlia, mais precisamente, Júlia de Oliveira Rosa. Estudante e catarinense. Apaixonada por moda, fotografia, história, artes, tecnologia, livros, filmes, viagens e decoração. E minha família, obviamente. Assim como todos, tenho centenas de sonhos, e lutarei para conquista-los. Sou do tipo que ama ficar sozinha, com minhas amigas bem próximas e família ou em um lugar inteiramente desconhecido, meio confuso, não é? Mas essa sou eu. Gosto de quem é bem humorado e ao mesmo tempo sabe ter “classe” quanto as atitudes. Outra paixão secreta (ou não) são as flores. Se eu pudesse, teria uma floricultura incrível com todos os tipos de flores que existem. Mas, como não tenho esse poder, posso dizer que coloco flores em tudo que posso: plano de fundo, parede, cartão, caderno, lápis, agenda, computador, decoração e roupas. Parece que tudo fica mais calmo, delicado e bonito mesmo, hahaha. Mas nada de coisa brega, viu?!

      Então... Agora a história do nome. Para ser sincera, tentei vários e vários nomes diferentes, como Sweet Dreams e Extraordinary Life, alguns fofos que criei até em português como Doce de Vida e Dias de Primavera, mas NENHUM estava disponível. Criei o blog “Cinco dias de Outono”, pois, tenho que admitir, achei fofo. Ele não tinha nenhum significado para mim. Dias vão e vem e eu me dei conta de que esse ainda não era o nome ideal, por alguns motivos como: “se eu fosse escolher uma estação, com certeza seria a primavera”, “por que cinco dias e não mais?”, “isso não tem absolutamente nada a ver comigo, não mesmo” e “por que fui criar um nome tão grande?! Parece título de livro.” E isso define por que desisti desse blog. Queria simplesmente ter um lugar onde me identificasse, e não poderia ser algo forçado. Alguns dias se passaram (inclusive a virada de ano, opsss) e um nome veio na minha mente: Julia’s Rose. Perfeito! É simplesmente eu! E o mais importante: disponível. Esse título, se você “ler nas entre linhas”, simplesmente me resume. Primeiro Julia, meu nome, é claro (rsrs) que significa que gosto de quem sou, tenho confiança sobre eu mesma e não procuro me esconder. Já a segunda parte dele, Rose, detém muuuitos significados. Tanto por eu amar as flores, quanto o que essa flor em especial (a rosa) sempre transmite: paixão, romantismo e delicadeza, pelo menos é assim que a vejo. E além de tudo, sua tradução para o português é meu sobrenome, Rosa! Demais, amei, uhuuul, hahaha. Com isso já da para ter uma pequena ideia o que esse blog trará, como textos, resenhas, indicações, desejos, e qualquer coisa que vier em minha mente sobre tudo que adoro “vivo”.

      Acredito que esse tempo interminável que demorou valeu a pena. Aqui, nesse novo “cantinho” sinto-me mais segura, afinal, nunca vejo uma florzinha se quer no Outono, e o blog teria que ter um layout nesse tema, como eu sobreviveria?! 

   

Obrigada a todas que leram e espero que tenham gostada dessa pequena (nem tanto, admito) prévia de quem eu sou e do que se tratará o “Julia’s Rose”.

 

Fiquem bem, sonhem que estão num mar de flores e se divirtam!

0 Comments